24 de nov de 2009

CONFITEOR

.
Quem lê o meu blog, e sei de alguns que o lêem, deve imaginar que sou um ser doméstico, comedido, fiel, tão pudico que nem faz amor totalmente pelado e que, antes de dormir, se ajoelha no lado da cama e reza contritamente um pai-nosso e três ave-marias. Geralmente o blog reflete a personalidade do blogueiro e o meu é bem comportado.

Os pataços que eventualmente distribuo são de natureza política e cívica e isto não é pecado; é de um dever ditado pela indignação ética e sempre foram até comedidos. Mas em termos de respeito ao ser humano nada há em desabono de sua conduta.

No entanto, para o bem de minha consciência, devo fazer uma confissão estarrecedora: eu tenho uma amante.

Não vou revelar seu nome correto para evitar açular-lhe sentimentos de vingança. Vou chamá-la de Átria Fibrilini. Não significa que seja italiana. Poderia ser Fibrilovski, ou Fibrilarsson, ou Fibrilman. Não tem uma nacionalidade definida, é universal e dotada um certo dom de ubiqüidade porque já me encontrou em lugares tão diversos quanto Alegrete, Salvador, Vila Velha, Itapema, Joinville, Bragança Paulista, Florianópolis...

A Átria é especialista em me fazer sofrer. E não consigo me livrar dela, e de suas visitas periódicas, de jeito nenhum.

Ela não marca hora nem para chegar nem para sair. Já permaneceu aqui em casa por quinze dias seguidos, desapareceu por uma semana, depois voltou e ficou mais dez dias. Quando viajei para Santa Catarina, em julho, ela não respeitou nem minha filha e foi junto. Depois de uns dois dias de intenso frio na Praia do Grant resolveu buscar um aconchego mais quente.

Completamente despudorada, chega de mansinho, geralmente de madrugada, se intromete entre a Ieda e eu e toma conta do meu coração. Exatamente do meu coração! Não podia ser mais cruel e possessiva. Sádica, fica dando chicotaços no meu peito. Sinto-me desequilibrado, fraco e desgastado e completamente dominado antes de se passar pelo menos um minuto.

Que ela não me respeite tudo bem. Mas e a Ieda? A Ieda não tem culpa das minhas fraquezas. Mas é quem acaba sofrendo mais. É cinicamente desrespeitada.

Eu, é claro, faço o que todo homem nessa hora tem que fazer. Não discuto, não digo nada, fico exemplarmente comportado, na exata medida em que um homem com sua amante na frente da mulher pode ser comportado. Procuro me mexer o menos possível. Absolutamente passivo e inerte.

A Ieda, nessas ocasiões, ainda tem que satisfazer as vontades impudentemente sádicas da Fibrilini. Às vezes nem percebe que ela está na cama conosco e eu a acordo, tocando no seu braço, e digo apenas, baixinho:

– A Fibrilini taí!

Diante da Ieda trato-a pelo sobrenome para parecer mais impessoal.

A Ieda já sabe o que fazer. Levanta-se conformada e vai preparar um coquetel de quinidine, digoxina e propranolol.

Cerca meia hora depois meu coração vai se acalmando, mas segue descompassado. Para voltar ao ritmo sinusal vai depender da vontade da Fibrilini. Às vezes é questão de horas, às vezes ela só sai depois de uns dois ou três dias, ou mais.

Não diz adeus nem até logo. Mas depois de algum tempo, volta.

.
.
.
.
Publicado no Jus Sperniandi, do autor, no Uol,
em 17/08/2004.
.

Um comentário:

  1. Pitacos transcritos do original:

    [GLAUCO DAMAS] [glauco@glaucodamas.com] [http://portugueshoje.blog.uol.com.br]
    Maria Teresa, o Ilton tem me agradado mais que o famoso Verissimo.............

    19/08/2004 03:24

    [Maria Teresa Baptista] [terepbb@terra.com.br] ["a amante"]
    Gostei muito do texto, no início pensei...vou contar para a Ieda...mas depois fui me acalmando...Parabéns, agora só falta destronar o chato do Veríssimo e nos brindar com seus artigos.

    19/08/2004 00:40

    RESPOSTA:
    Ahã! Agora que minha vida íntima foi revelada devo esclarecer que a Ieda convive com a Átria melhor do que eu. Ainda bem! Quanto ao "phtirius pubis" do Veríssimo acho que o melhor remédio ainda é o Neocid. Mas com cuidado...

    [Celito Dellandréa] [celito25@hotmail.com]
    Meu irmão e compadre se superou. O Blog está cada vez melhor. Sempre na medida certa, leve e bem humorado. Custei um pouco pra comentar aqui, mas faço com gosto porque realmente vale a pena acompanhar seus escritos. Abcs a todos.

    18/08/2004 17:43

    RESPOSTA:
    Brigadão, compadre. A manada (aqui usada como coletivo de manos, viu Glauco) está prestigiando. Só tem um de Rio do Sul que não tem tempo. O difícil é manter o nível, mas ainda tenho algumas matérias parecidas (por isto, diferentes). Mas amanhã não. Amanhã vou começar a juntar pedras... Abração.

    [Carlos Damião] [carlosdamiao@brturbo.com] [http://carlosdamiao.zip.net]
    Que pena que o Glauco escreveu antes de mim. Juro que ia dizer a mesma coisa. É difícil encontrar nos nossos cronistas -os dos jornais - alguém que consiga escrever num estilo escorreito, como nos velhos tempos, ainda mais falando de si e de um problema tão sério. Saúde e sucesso literário é o que te desejo. Abraço grande, Carlos Damião P.S.: Você e a Giorgia estão entre os meus blogueiros preferidos. Acho que têm uma leveza poucas vezes encontrada em textos da internet. Que os meus outros amigos me perdoem, mas a maioria eu sei que tem formação jornalística - sem muito queda para a literatura. Gosto de todos, mas o que toca mais a minha matéria é justamente a transpiração literária que o Ilton e a Giorgia transmitem, cada qual com seu recado. Abraços P.S.2 = Esqueci de meu velho amigo Cesar Valente. E aqui não é por amizade: ele é um baita de um cronista/contista. Isso não é de hoje: vem dos anos 1970. (Ele é mais velho que eu... hehehe).

    18/08/2004 17:10

    RESPOSTA:
    Damião. Grato pelos elogios. Visito seu blog todos os dias para matar a saudade do tempo que residia aí. Está entre os meus prediletos, como o do Glauco, o da Giorgia e outros que visito diariamente. Faltaria espaço para citá-los aqui. Aposentado tem suas vantagens, embora a baita desvantagem que o STF nos impingiu há pouco. Mas vamos em frente. Abração.

    [GLAUCO DAMAS]
    Acho que só um "ARTISTA" para conseguir escrever dessa maneira sobre um problema que o afeta. Você é um grande escritor! Que Paulo Coelho agradeça aos céus por você ter seguido no Direito!... (Não é comparação com os textos do Sr. Coelho. Agora me refiro a exemplares vendidos, a ser campeão em vendas em um país.)

    18/08/2004 16:18

    RESPOSTA:
    Pois é, Glauco. Estou meio mordido com essa decisão do STF que referi acima. Amanhã sai uma notinha. O negócio é que, para compensar, estou necessitando publicar alguma coisa para um dinheirinho extra. Contentar-me-ia com 0,5% do que ganha o senhor Paulo Coelho. Espero não estar sendo muito pretencioso. Um abraço.

    ResponderExcluir