19 de nov de 2009

MÃOS AO ALTO!

.
.
Há certas coisas que me deixam cabreiro. Por que toda essa campanha da Rede Globo pelo recolhimento de armas? O que há, na verdade, por trás disto? Todos os dias, em todos os noticiários, a divulgação é a tônica. Militares aposentados que entregam suas armas são entrevistados com destaque.

Só não vi bandidos devolvendo armas. Ou a Globo resguarda sua identidade ou os larápios não estão nem dando bola para isto. Dizem, até, que estão concorrendo com o Governo e pagando mais pelas armas. E à vista...

Agora de manhã, quando voltei de minha nadada matinal na praia do Grant peguei o final de uma entrevista com o Ministro da Justiça, sobre o assunto. Aliás, esse ministro é muito articulado. Fala que é um condenado!

Mas não entendo tanta tertúlia. Quem é contra armas que não as compre nem guarde nem use. É simples. Muito simples.

Eu sou contra. Mas tenho armas e senti necessidade de tê-las em razão de minhas funções.

Em 1992 ou 1993 condenei um jovem que residia a duas quadras de minha casa a mais de vinte anos de reclusão, em regime fechado, por latrocínio (assaltou um ônibus, com dois parceiros, e matou o cobrador). Dentro em breve terá cumprido a pena e estará livre de pleno direito.

Se quiser se vingar, sabe onde moro. Certamente o senhor Ministro da Justiça, ou o Estado, ou quem quer que detenha a obrigação de proteger os cidadãos, não vai designar um policial permanente para me defender. Sou um aposentado que só dá despesas e se eu morresse seria uma economia. Daria para pagar algumas dessas armas.

Então vou ficar com meu Smith & Wesson .32 de 1919 – que guardo como relíquia – e com uma pistola 380. Se for para morrer na mão de um bandido quero ter o direito de pelo menos tentar me defender. Dignamente.

Mas não é só isso. O dono de uma escola de tiro de Porto Alegre me confidenciou que as organizações Globo estão detrás da criação de uma empresa de segurança de alto nível, com rastreamento via satélite, e que por isto apóia essa campanha que – isto sou eu quem afirma – vem baseada numa lei votada com base na emoção e em estatísticas pouco confiáveis.

Enquanto isto os bandidos continuam com suas armas. A lei só atinge os homens de bem. Apenas estes estão devolvendo seus revólveres e creio que mais por motivos econômicos do que por adesão a esse programa que não vai diminuir a criminalidade.

O Estado é incapaz de nos dar segurança exatamente porque não pode conter os larápios e facínoras que precisam ser desarmados e não são. Ele nunca teve condições de implementar o Sistema de Armas e Munições de 1999, uma legislação séria e exemplar. Como vai fazer cumprir a nova lei? Simplesmente não vai. Nossa polícia sucateada, mal paga e sem recursos jamais poderá realizar uma fiscalização eficaz e apreender armas ilegais.

Por uma questão de bom senso deveríamos antes capacitá-la e instrumentá-la. Depois, desarmados os bandidos, fazer campanhas como esta de agora. Necessitamos de segurança, um dever básico do Estado, e não de mais leis que tentam resolver a questão de forma oblíqua.

Se o Estado proporcionasse segurança bastante e eficiente eu não teria dúvida em entregar minhas armas legalizadas e não iria sequer querer indenização por isto. Mas por enquanto não quero ficar mais desprotegido do que já estou por detrás das grades que circundam minha residência.

Ontem, na novela Cor do Pecado, o avô do Raí e do Gustavo foi morto – ou pelo menos ferido mortalmente – com um tiro na altura do coração. Paradoxalmente, nem nas novelas da Globo a polícia consegue deter um cidadão armado. Um exemplo negativo. Mas aí vem coisa, podem esperar: é o gancho para uma exemplar condenação ou um castigo cruel. E, certamente, para mais uma catilinária contra a posse de armas, mesmo legais.

.
.
.
.
Publicado no Jus Sperniandi, do autor, no Uol,
em 28/07/2004.
;

2 comentários:

  1. Pitacos transcritos do post original:

    [Glauco Damas] [glauco@glaucodamas.com] [http://portugueshoje.blog.uol.com.br]
    Em tempo -- Enquanto isso, cá estou, em minha "casa-fortaleza". Sensores de alarme em todos os cantos (inclusive externos, à prova de animais domésticos)... mais a CERCA ELÉTRICA! O jeito é me conformar e ser um "PRESO" feliz... Não é mesmo, ministro da Justiça?

    02/08/2004 19:41

    [Glauco Damas] [glauco@glaucodamas.com] [http://portugueshoje.blog.uol.com.br]
    Um dos motivos para o menor índice de assaltos em carros com vidro fumê é a insegurança do ladrão com o que acontece lá dentro. O motorista pode puxar uma arma sem que o bandido veja. Agora, com o desarmamento, os bandidos terão mais confiança ao agir! Como sempre digo: no Brasil, logo o governo fará o povo pegar bandido no colo, botar fralda, dar mamadeira e fazer cafuné!!! DEsculpem-me das minhas palavras agressivas. É que sou de uma família TRAUMATIZADA. Passamos por terríveis momentos. Nosso comportamento mudou principalmente de um grave seqüestro de minha irmã. Pessoas assim enxergam bandidos de outro jeito. Sei que há falhas nas leis, caridosas demais com os bandidos. Cabe ao Congresso fazer alterações, mas nosso atual "GOVERNO DO POVO" (???) deveria se mobilizar por mudanças da mesma forma que faz com outras coisas. (Perdão. Até escrevo errado, aperto teclas erradas... Sinto-me MUITO frustrado com esse assunto!)

    02/08/2004 19:38

    [Glauco Damas] [glauco@glaucodamas.com] [http://portugueshoje.blog.uol.com.br]
    Ilton, desculpe-me da franqueza e da palavra pesada, mas nosso atual ministro da Justiça é um inútil. Sempre com aquela tranqüilidade irritante, as insinuações de que a violência não é assim tão grave, há exageros da mídia. E a participação dele na passeata gravada para a novela Mulheres Apaixanadas?! Nada se faz de útil para combater a criminalidade e depois esse pessoal vem com MARKETING para fazer o povo engolir que providências sérias estão em curso. É patético ver uma pessoa dizendo com orgulho, no Jornal Nacional, que cumpriu seu dever de cidadão. Não tenho arma para entregar, e o duro é que também não tenho dinheiro para andar de carro blindado -- como os barões de Brasília. Essa campanha ridícula serve apenas para as pessoas de bem. Os bandidos agora têm a deliciosa sensação de serem os únicos armados (porque às vezes nem a polícia está armada...).

    02/08/2004 19:32

    ResponderExcluir
  2. Pitacos transcritos do post original:

    [Elzano Antonio Braun] [elzano@prsc.mpf.gov.br]
    Sr. Dellandréa, lhe estimo desde os tempos da sentença do beijo de Espumoso... Em relação ao Estatuto, por idéias transversais, compartilho da mesma opinião... A arma de fogo foi um engenho que venceu a força bruta, teve lá sua dignidade... As guerras se tornaram mais técnicas, o bruto se curvou ao técnico .. Agora, que volte a barbárie.

    29/07/2004 13:14

    RESPOSTA:
    Grato pela visita, Sr. Elzano. Compareça quando quiser e, se achar necessário, critique também. Desculpe a demora da resposta, mas é que somente agora estou de volta, em casa, e conto com a facilidade da banda larga. Um abraço.

    [Tell] [http://www.tagarela.blogger.zip.net]
    Tudo que tem o apoio da Rede Globo, eu desconfio... Deve sempre ter um grande interesse por trás, infelizmente... E essa campanha de desarmamento é ridícula... Aqui em Recife chega a ser engraçado (pra não dizer, trágico)ver as pessoas entregando as velhas e enferrujadas armas e, em seguida, colocando um sorriso enorme no rosto como se dissessem: pronto, fizemos a nossa parte, somos cidadãos contribuindo para acabar com a violência!!!! E na esquina (em qualquer uma, não existe mais um bairro tranquilo ou seguro)continuam acontecendo os roubos, os assaltos, as brigas, as balas "perdidas"...

    28/07/2004 22:26

    [Carlos Damião] [carlosdamiao@brturbo.com] [http://carlosdamiao.zip.net]
    Pois é, a hipocrisia da Globo já não nos surpreende. A luta pela audiência, requer o que se chama, no nosso jargão jornalístico, um FATO NOVO todos os dias. Quando fui editor-chefe de O Estado, nós tínhamos que buscar elementos (notícias) para enfrentar o DC (representante da Globo, ora se não). Nas reuniões com os editores, minha ênfase era sempre uma só: precisamos ser diferentes, noticiar aquilo que eles não noticiam. Era difícil, porque o DC, como a RBS e a Globo, trabalham em cima do marketing de apelo: definem temas (como BR-101, desarmamento etc.) para dizer que eles são os paladinos da verdade. Às vezes acertam. Abraço Carlos Damião P.S.: Também gosto dos dias de chuva, tanto quanto dos ensolarados.

    28/07/2004 20:09

    [paulo stodieck] [stodieck@terra.com.br]
    Ilton, vc. tem razão. Histeria pura essa história de desarmamento. Armas inúteis, guardadas em armários, enferrujadas, nunca usadas (talvez para uma caça)estão sendo recolhidas, com o maior estardalhaço. Será que o espírito da "velhinha de Taubaté" está incorporado no Ministro da Justiça, e ele pensa que o brasileiro acredita que armas de grosso calibre, granadas etc serão entregues por míseros cem a trezentos reais. Peça-se a folha corrida das armas que estão sendo recolhidas e nada vezes nada será identificado. Abraços, Paulo Stodieck

    28/07/2004 10:54

    ResponderExcluir