27 de nov de 2009

NOTAS DE RODAPÉ

.
Honestamente não creio ser possível um retrocesso tão grande neste país a ponto de se conseguir censurar oficialmente o trabalho da imprensa. É algo absolutamente impensável. Mas tenho visto tanta mudança que julgava impossível, tantos lobisomens uivando nas noites de lua cheia, direitos adquiridos pisoteados, o ato jurídico perfeito desconsiderado que, na verdade, estou apreensivo e chegando à conclusão de que nada, absolutamente nada, é impossível.

A política do é dando que se recebe não é criação do governo atual. Acho que começou com a república. O FHC a aprimorou mas não conseguiu muitos resultados porque o PT era oposição e podou muitas de suas pretensões – boas e ruins. O governo Lula está dando lapidadas muito especiais e a levando às ultimas conseqüências essa política e com resultados mais positivos. A
oposição de hoje é mais volúvel.

Quem lê o meu blog pode sentir alguma má vontade contra o PT e o Lula. Não é bem assim. Minha indignação ética é que comanda meus pataços. E agora o Lula e o PT estão no poder. Não vou criticar quem não faz porque não pode. Mas não é má vontade. Critiquei o FHC, embora não dispunha de um blog para isto. Ele foi o melhor cabo eleitoral do Lula e continua sendo, ao que parece, ainda que inconscientemente para ambos, o guru recôndito da política atual.

O Estado vem distribuindo multas, diretamente ou por seus órgãos, com exemplar profusão. Todas serão pagas por nós, cidadãos comuns. Não se pense que as aplicadas à CELESC pelo apagão em Santa Catarina, no ano passado, não vão ser repassadas às contas de luz. Mas o presidente Lula vetou lei que elevava de 2% para 20% a multa dos inadimplentes condominiais. Aqueles que vivem em condomínio formam uma espécie de comunidade com interesses comuns. Quando um só condômino atrasa sua cota, sofrem todos os demais, pois as despesas têm que ser pagas. Só que elas não entram nos cofres do Estado.

Alguém lembra das simonetas? No tempo da Ditadura tentaram instituir o pagamento de um percentual cada vez que se abastecesse um veículo. Foi gasta uma fortuna na confecção de tíquetes especiais para isto. O nome simoneta homenageava o então ministro da Fazenda, Mário Henrique Simonsen. Pois não conseguiram. Mas a democracia do FHC nos aplicou, na calada da noite e sem alarde, a tal de CIDE – que o Lula, na campanha, não sabia o que era – e algo muito pior: a CPMF.

O presidente Lula anda fazendo afirmativas reveladoras. Tachou os jornalistas de “bando de covardes”, disse que fora ao Gabão para “aprender como é que se fica no poder por 37 anos e ainda se consegue reeleger” e que “se sente frustrado por ter sido rejeitado pelo Exército”. É impossível invocar Freud para explicar. Uma atenta amiga minha, que por sua vez tem uma amiga ligada à área médica, me advertiu que Freud está fora de moda. Não é preciso: seus assessores explicam, após servis gargalhadas, que o presidente é muito brincalhão e gosta de pilheriar com os outros. Espero que não sejamos nunca, por qualquer motivo e por qualquer forma, obrigados a achar graça dessas piadas e a gargalhar com eles.

Nem por decreto, digo, nem por medida provisória.

.
.
.
.
Publicado no Jus Sperniandi, do autor, no Uol,
em 27/08/2004.
.

Um comentário:

  1. Pitacos transpostos do original:

    [Carlos Damião] [carlosdamiao@brturbo.com] [http://carlosdamiao.zip.net]
    Adendo ao comentário anterior: nós fundamos o PT em Santa Catarina. O nós, aí, significou: professores, estudantes, religiosos e operários. Era um grupo pequeno, talvez umas 20 pessoas, reunidas lá em Criciúma. Depois fui para São Paulo. Como meu trabalho em comunicação passou a ser muito mais intensivo, deixei a militância desde então para me dedicar ao jornalismo. Com o passar dos anos e a percepção de que os petistas têm um jeito muito udenista de ser - gostam de intimidar a imprensa, a Justiça, os opositores - passei a desenvolver uma notável antipatia pelo PT. Não combato o partido, porque sou pluralista, acho que tem que existir um espectro grande de siglas políticas. Mas o PT, cá entre nós, é uma decepção histórica formidável. Que bom que chegou ao poder, para que pudéssemos conhecê-lo melhor (e evitá-lo). Abraço

    27/08/2004 10:21

    Ilton Conheci o Lula lá nos anos 80, bem no início, quando fundamos o PT aqui em Santa Catarina, para ser um partido de resistência à ditadura militar. Ele era sim um cara bonachão, simpático, de uma simplicidade cativante. A língua "plesa" era motivo de gozação e lembro que ele nunca reclamou. O PT tem um monte de gente boa aqui em Santa Catarina, como tem no País (o Genoíno é sempre uma referência positiva para mim). Mas o PT no poder mudou muito. O Lula teve que mudar, talvez pra impor respeito. Mas acho que respeito se impõe com gestos (maneira de ser), não com palavras rudes nem com projetos stalinistas. Confesso que não perdi a esperança. Continuo acreditando na justiça social e na liberdade, ainda que tarde. Nos momentos em que percebo os exageros petistas, sempre lembro de La Pasionaria e sua frase imbatível: "No pasáran". Nenhum burocrata, chefete autoritário, ditador de bananas passará. Nenhum ficará para a História. Abraços Damião

    27/08/2004 10:18

    [Lizandra Demarchi]
    Sim, sou a secretária. Colorada, eu? nem pensar!!! A Alessandra é minha sobrinha, filha da minha irmã mais nova que já casou e me deixou pra trás (hehehe) Estou no 3. semestre de Direito. Já era hora!!! Abraço.

    27/08/2004 09:35

    ResponderExcluir