24 de nov de 2009

O BARCO

.
O BARCO - INFERNO NO MAR
.

.
Você tem que se preparar física e psicologicamente para ver este filme, pelo menos na versão do diretor Wolfgang Petersen, que dura cerca de 209 minutos.

É um filme denso mas indispensável para quem aprecia a sétima arte. Isto na modesta opinião de um mero diletante. Os filmes e músicas podem ser bons para alguns e indiferentes ou ruins para outros. Depende da variável sensibilidade de cada pessoa.

Não é daqueles que você assiste e sai do cinema aliviado e cantarolando. É arte e a arte pode fazer sofrer! Traz à tona – expressão adequada por tratar de fatos passados, a maior parte do tempo, no fundo do mar – a tensão de tripulantes de um submarino alemão U-96 numa arriscada missão de patrulha na II Guerra. Enfoca a superação do homem diante de problemas cruciais cuja solução, muitas vezes, depende de criatividade e improvisação.

Para respeitar o realismo buscado pelo Diretor, deveria ser visto num armazém da CEASA, repleto de homens suando, sem banho há dois ou três dias: é entre frutas, legumes e alguns enlatados que circulam, num ambiente apertado e sombrio, os tripulantes. Só isto é que seria capaz de aprimorar, ainda mais, o perfeccionismo do Diretor que realizou as filmagens internas na réplica de um submarino com as dimensões do original, exatamente para marcar o realismo. O fotógrafo usou lentes especiais e câmeras de mão em algumas cenas.

Percebe-se que, com a evolução dos fatos, a rígida disciplina germânica aos poucos vai afrouxando e os personagens se descuidando, relevando a hierarquia, decaindo psicologicamente para chegar quase ao desespero nas situações de maior perigo.

Na tentativa de fugir aos ataques da Marinha Britânica, em determinado momento, o submarino é obrigado a mergulhar mais fundo do que sua estrutura teoricamente suportaria. Os efeitos sonoros de parafusos estourando e água esguichando são convincentemente realistas nessa edição remasterizada e bem feita.

Apesar dos percalços, sustos e temores, o submarino consegue cumprir a missão e retorna festivamente aos estaleiros, na França dominada. O final é inesperado e, de certa forma, surrealista, considerando-se o que aconteceu antes.

Por este filme o diretor alemão foi atraído a Hollywood onde vem realizando alguns bons trabalhos, entre os quais Tróia, seu último sucesso. Mas nenhum deles se compara à grandiosidade de O Barco, embora esta grandiosidade, em grande parte, se esprema e se exprima no interior de um acanhado submarino.

O filme recebeu seis indicações para o Oscar e é semi-autobiográfico, baseado no livro do ex-repórter de guerra Lothar-Günther Buchheim que participou de missões do gênero e figura como personagem.

Uma curiosidade: a cantora francesa Rita Cadillac faz uma ponta nos comemorativos que antecedem a missão. Nada tem a ver, evidentemente, com a nossa protuberante (não mais tanto) ex-chacrete.
.
.
.
.

Publicado no Jus Sperniandi, do autor, no Uol,
em 16/08/2004.
.

Um comentário:

  1. Pitacos transcritos do original:

    [GLAUCO DAMAS]
    NOTA: os links são apenas para informações. Não significam que estou indicando a loja DVD World para comprar os DVDs. Já comprei por eles e nem recebi nota fiscal. Uso a loja para busca apenas porque eles têm um catálogo maior.

    16/08/2004 20:54

    RESPOSTA:
    De vez em quando compro da dvdworld também. Mas tenho, ultimamente, preferido outras empresas. O maior acervo que já vi, tanto de dvds quanto de cds é a www.cdpoint.com.br. Não é publicidade. Não compro mais deles depois que foram indelicados num e-mail sobre um comentário meu, que era para ser interno, mas que acabou vindo para a minha caixa postal. O cara, ao invés de teclar "encaminhar" teclou "responder"...

    [GLAUCO DAMAS]
    E aqui vai link para informações (incluindo capa) sobre o DVD "O BARCO", lançado como VERSÃO DEFINITIVA DO DIRETOR: http://dvdworld.com.br/dvdworld.hts?+BR0032+acha (Atenção, Ilton! É versão definitiva do diretor, e remasterizada!)

    16/08/2004 20:53

    RESPOSTA:
    É a versão que eu tenho. Já vi o filme quatro vezes e cada vez descubro alguma nuance diferente. Não é um simples "filme de guerra", é um filmaço mesmo.

    [GLAUCO DAMAS]
    Para quem quiser ver capa e sinopse do filme FORÇA AÉREA UM, citado em meu comentário: http://dvdworld.com.br/dvdworld.hts?+810006+acha

    16/08/2004 20:51

    [GLAUCO DAMAS]
    Maravilha! Sou fã desse diretor! Já vi o alemão. Ótimo!Em Hollywood ele segue muito bem nos filmes de ação. Ele caprichou em Tróia. Também achei que ele conduziu muito bem a ação em FORÇA AÉREA UM (aquele com Harrison Ford). ASS: Glauco, maníaco por cinema, aquele cujo principal lazer é freqüentar as salas de cinema de um shopping daqui... ;-)

    16/08/2004 20:49

    RESPOSTA:
    Acho que ele perdeu um pouco da naturalidade depois que foi para Hollywood. O filme "Inimigo Meu", por exemplo, podia ter um final menos hollywoodiano, embora o seu enredo seja uma delícia, apesar de se tratar de ficção científica, que não aprecio muito.

    ResponderExcluir