11 de nov de 2009

OS NOSSOS BICHOS

.
Depois que entrei no mundo dos blogues, tenho freqüentado alguns e noto que muitos blogueiros falam orgulhosamente de seus animais de estimação – principalmente cães fofinhos e gatos espertos – exibidos em belas fotos.

Fiquei coçando a orelha. Não sabia se deveria fazer o mesmo, porque, quando lancei o JUS SPERNIANDI, me propus a escrever mais sobre coisas que se convencionou qualificar de sérias para que fizesse jus ao nome, ainda que, vejo agora, já tenha dado algumas escorregadelas.

Mas é domingo, dia de amenidades e, para mim, o pior da semana porque não se tem o que fazer. A televisão não ajuda (aqueles domingões fastidiosos e não legais não me prendem). Não consigo ver mais de dois filmes, um à tarde e um à noite, e por isto o tempo que sobra é demasiado.

Então resolvi falar dos nossos bichos.

Temos o nosso aquário, os nossos gatos, andorinhas, um beija-flor e já tivemos uma borboleta e um canário belga.

Nosso aquário é uma beleza de azul e os peixes são azuis, as algas – se é que são algas – são azuis (nunca perguntei à Ieda, embora a convivência de mais de 33 anos, se são realmente algas para não evidenciar minha ignorância e porque, segundo dizem, é falta de educação indagar aos artistas o que eles querem dizer em seus quadros, ainda que a gente não entenda nada).


.
Há quem diga que aqueles que têm aquário em sua residência e ficam apreciando os peixinhos têm menos propensão ao infarto. Uma pesquisa na Alemanha acrescentou que não basta ter um aquário: é preciso levar uma vida saudável, regrada, não ingerir carnes gordas e vermelhas, fazer exercícios e alongamentos, controlar a obesidade, o diabetes e a pressão e não fumar. Mas esta é outra história.

O nosso aquário está pendurado numa parede, meio esquecido na churrasqueira. Para quebrar um pouco o azulado sugeri à Ieda que colocasse nele pelo menos uma borboleta que tínhamos, muito brilhante e colorida, mas ela não quis. Não dá para entender esses artistas.

.


Mais tarde, desastradamente, quando eu limpava meus cds, bati nela, que voejava imprudentemente próximo aos meus cotovelos, e a espatifei.

Já os nossos gatos são milhares. Não! Centenas. Também estão pendurados na parede e convivem muito bem com os peixes. São muito ariscos e por mais sorrateiramente que entremos na churrasqueira, nunca os enxergamos: só vemos seus rabos e suas patas estilizadas e as pegadas que eles deixam... Não são tão higiênicos quanto apregoam que os gatos são.

Cachorros, não temos. Os vizinhos têm bastante, daqueles enormes, que nos acordam nas madrugadas frias com seus latidos tonitruantes e até estereofônicos. De manhã, bem cedinho, são soltos nas ruas do bairro para cagar pelas calçadas. A minha é de pedras e grama e, não sei porque, eles adoram defecar na grama... Não posso dizer que são mal-educados, mas seus donos, certamente, o são.

.


Uma vizinha tinha 28 cães e 319 gatos, mas o Departamento de Zoonose da Prefeitura mandou-a desfazer-se da metade. Agora ela tem apenas 14 cães e 159 gatos e meio...

Um beija-flor de vez em quando vem visitar nossos hibiscos. Há tempos que não o vejo. Com esse frio, os hibiscos estão se guardando para a próxima estação.

Em todas as primaveras temos andorinhas. Elas fazem ninho na lareira do escritório: descem pela chaminé e encontram algum lugar apropriado, não sei em que altura, e podemos ouvir o gorjeio dos filhotes depois de algum tempo.

Tínhamos um canário belga, também, muito bonito e canoro. Este a Ieda concordou, após muita insistência minha, em juntar aos peixes.

Mas acho que ela, de propósito, para não quebrar o cerúleo do aquário, o colocou no gatil... O canário desapareceu...






Publicado em blog do mesmo nome, do autor, no Uol,
em 27/06/2004.
.

Um comentário:

  1. Pitacos transpostos do blog original:

    [anja] [www.anjaazul.blogspot.com]
    Me encanta o modo como descreve tudo. Aliás mais encantada fico com as pinturas de Ieda, ela é uma artista. Parabéns a ela. Ah! tinha dois gatos pretos o Bush e o Sadam...por divergências Bush sumiu no mundo. Hj só o Sadam resmunga pelos cantos aqui.É tão temperamental!

    30/06/2004 21:33

    [Thiago] [thamos@uol.com.br] [http://www.wamozart.cjb.net]
    Aproveitando o gancho 2: Também tenho 4 gatas e uma cachorra de pequeno porte, sendo apenas uma gata persa, ainda filhote, que compramos; as demais, todas da rua. Só não tenho mais porque o espaço não permite, mas é muito gratificante ter essa bicharada, ver que cada uma tem uma personalidade diferente.

    29/06/2004 13:18

    [Glauco Damas] [gd@glauco.damas.nom.br] [http://portugueshoje.blog.uol.com.br]
    Aproveitando o gancho: tenho uma gata (de verdade...) com problema mental. Não pode nunca sair de casa, pois não saberia voltar. Aqui dentro tem comportamento até normal, é brincalhona (faço a maior festa com ela!) e supercarinhosa. É a rainha da casa... Uma gata VIRA-LATA, com problema... e ainda assim é a maior alegria da casa, nosso grande amor. Adoro todos os animais, especialmente gatos -- e mais ainda os vira-latas. Todos os meus gatos vieram da rua, machucados.

    27/06/2004 21:25

    ResponderExcluir